PPG - Doutorado IDOR

Inscreva-se

HISTÓRICO E CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROGRAMA

O IDOR apresenta à comunidade científica o seu Programa de Doutorado em Ciências Médicas, recomendado pela CAPES e com início das aulas em Março de 2017.

A alta produtividade dos pesquisadores do IDOR, associada à capacidade individual e institucional de captação de recursos, profícuas parcerias acadêmicas nacionais e internacionais e experiência na formação de mestres, doutores e pós-doutores, atestam a maturidade científica do Instituto e dão suporte para a proposta do Curso, que apesar de novo, nasce dentro de uma Instituição que apresenta indicadores de excelência em pesquisa.

O programa é um desdobramento natural das atividades de pesquisa e ensino que o Instituto já desenvolve dentro de um contexto que assegura excelência de sua massa crítica, modernas instalações laboratoriais de pesquisa em imagem, bioquímica, biologia molecular e reprogramação celular, além de forte inserção internacional de seus projetos. Tem, portanto, um intenso foco multidisciplinar que se traduz pelas diferentes áreas de trabalho dos docentes, e uma proposta de admissão de alunos com diferentes formações profissionais, promovendo sólida formação transdisciplinar.

Os pesquisadores/docentes do Curso de Doutorado do IDOR são capazes de induzir parcerias e liderar investigações científicas multidisciplinares e inovadoras buscando um modelo de formação acadêmica diferenciada, crítica e integrada com as questões da área da saúde. São 17 pesquisadores referência em suas áreas de atuação, com mais de 400 artigos publicados nos últimos três anos em 19 linhas de pesquisa e 69 projetos de pesquisa.

 

OBJETIVOS

GERAL:

desenvolver pesquisa clínica e translacional e formar recursos humanos altamente qualificados na área da saúde.

ESPECÍFICOS:

- ênfase na pesquisa multidisciplinar, favorecendo a articulação de projetos de cooperação entre diferentes áreas de conhecimento;

- estímulo forte na interface entre pesquisa e inovação tecnológica;

- compromisso com a internacionalização das atividades científicas dos docentes e discentes;

- geração de indicadores de desempenho e qualidade que permitam equivalência com instituições e programas de excelência do Brasil e do exterior.

 

 PERFIL DO EGRESSO

O aluno do Curso de Doutorado em Ciências Médicas do IDOR estará exposto a um ambiente científico inovador, tendo a oportunidade de trabalhar em projetos ousados que estão na fronteira do conhecimento, bem como de desenvolver pesquisa científica comprometida com a prática médica com forte inserção hospitalar.

Vai adquirir maturidade investigativa através de projetos transdisciplinares, trabalhos de equipe e de uma agenda propositiva que estimule a curiosidade, autonomia e criatividade. Assim, o Curso deve contribuir para formar um pesquisador na área de saúde com perfil crítico, participativo e habilitado para enfrentar desafios intelectuais complexos e para desenvolver trabalhos inovadores em ciência básica e aplicada, tanto no meio acadêmico quanto no meio empresarial.

Espera-se que o egresso seja um profissional capaz de liderar e de contribuir para gerar novos conhecimentos e buscar soluções para os desafios da área da saúde.

 

LINHAS DE PESQUISA

O IDOR desenvolve pesquisa científica em medicina clínica e translacional. Suas linhas de investigação estão estruturadas em cinco grandes áreas do conhecimento: Neurociências, Medicina Intensiva, Medicina Interna, Pediatria e Oncologia.

1.       Criação de plataforma biotecnológica para prospecção em grande escala de compostos com aplicação terapêutica em transtornos mentais. (Stevens Rehen)

Geração de células-tronco humanas de pluripotência induzida a partir de fibroblastos da pele e de células epiteliais da urina de pacientes com transtornos mentais visando aplicação biotecnológica. Descrição de alterações atômicas, celulares, metabólicas e de expressão gênica em progenitores neurais, células gliais e neurônios gerados de células iPS de pacientes com esquizofrenia, Síndrome de Dravet, Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) e Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) comparados às mesmas células de voluntários saudáveis.

2.       Neurologia Clínica (Paulo Mattos)

Desenvolvimento de métodos de diagnóstico e prognóstico de doenças neurológicas, tais como doença de Parkinson, doença de Alzheimer e acidente vascular cerebral.

3.       Neuropsiquiatria (Paulo Mattos)

Investigação dos aspectos clínicos, comorbidades médicas, cognição, neurobiologia e tratamento de diferentes transtornos neuropsiquiátricos.

4.       Tratamento e reabilitação de pacientes com acidente vascular cerebral (Gabriel de Freitas)

O acidente vascular cerebral (AVC) é a segunda maior causa de mortalidade no mundo. Estudos clínicos e experimentais investigam novas estratégias terapêuticas que possam reduzir a mortalidade e a morbidade do AVC, com ênfase na utilização de células tronco.

5.       Transtornos compulsivos e transtornos da ansiedade (Leonardo Fontenelle)

Esta linha de pesquisa procura elucidar como comportamentos compulsivos e impulsivos interagem em pacientes com diferentes transtornos mentais. A identificação de aspectos clínicos e fisiopatológicos pode resultar em um melhor tratamento para os pacientes. Estudos com diferentes técnicas de neuroimagem e de neuroestimulação procuram elucidar bases fisiopatológicas dessas doenças. Aspectos clínico-fenomenológicos do transtorno de ansiedade social são investigados.

6.       Conectividade e plasticidade (Fernanda Moll e Ricardo de Oliveira)

Estudo das bases neuroanatômicas e funcionais dos circuitos cerebrais e suas modificações relacionadas ao desenvolvimento, degeneração e plasticidade cerebral em humanos (e roedores) através de métodos quantitativos de ressonância magnética.

7.       Neurociência cognitiva & Neuroinformática (Jorge Moll e Ricardo de Oliveira)

Estudos nas áreas de neurociência cognitiva e social, utilizando principalmente técnicas de neuroimagem funcional e estrutural (ressonância magnética funcional [fMRI], espessura cortical), eletroencefalografia (EEG) e neuromodulação (neurofeedback e estimulação cerebral elétrica e magnética), tanto em indivíduos saudáveis quanto em pacientes com distúrbios neurológicos e psiquiátricos). Além disso, alguns projetos visam o desenvolvimento de métodos e ferramentas (processamento de imagens funcionais em tempo real para neuromodulação usando interfaces cérebro-máquina, como neurofeedback por ressonância magnética funcional, fMRI-rt, que permite que voluntários saudáveis e os pacientes com doenças neurológicas e psiquiátricas aprendam a controlar a sua própria atividade neural de forma endógena). Mais especificamente, são investigados processos de tomada de decisão moral e econômica, interação social, emoções evocadas por estímulos musicais ou visuais como fotos e filmes, assim como a aplicação de modelos computacionais no processamento de imagem.

8.       Doenças respiratórias em Pediatria (Arnaldo Prata e Antonio Ledo)

Estudos envolvendo a epidemiologia, etiopatogenia, diagnóstico e tratamento das afecções respiratórias na criança e no adolescente, com foco nas doenças virais, asma, pneumonia e síndrome do desconforto respiratório agudo.

9.       Qualidade em saúde em Pediatria (Arnaldo Prata e Antonio Ledo)

Estudos relacionados à formação e capacitação de recursos humanos, avaliação da estrutura, dos processos e resultados das ações em saúde na criança e no adolescente.

10.   Sepse em Pediatria (Arnaldo Prata e Antonio Ledo)

Estudos envolvendo a epidemiologia, etiopatogenia, diagnóstico e tratamento da sepse na criança e no adolescente, com foco nos mecanismos fisiopatológicos, nas disfunções orgânicas e na abordagem terapêutica.

11.   Fatores organizacionais em unidades de cuidados intensivos (Marcio Soares)

Avaliar a associação de fatores organizacionais e desfechos de pacientes internados em unidades de cuidados intensivos.

12.   Cuidados intensivos no paciente com câncer (Marcio Soares)

Estudar os aspectos relacionados aos cuidados de pacientes com câncer internados em unidades de terapia intensiva.

13.   Delirium em pacientes criticamente enfermos (Jorge Salluh)

Estudar os aspectos epidemiológicos, fisiopatológicos e biomarcadores para o diagnóstico precoce e estratificação de risco e para identificar os aspectos ligados à prevenção farmacológica e não farmacológica para esta condição clínica.

14.   Sepse e Inflamação Sistêmica (Fernando Bozza)

Estudos da epidemiologia, identificação de biomarcadores para o diagnóstico e prognóstico de pacientes com sepse. Estabelecimento dos mecanismos fisiopatológicos chaves da interação entre inflamação e metabolismo como determinantes de disfunções orgânicas. Foco em: Sepse, dengue, pneumonia e Influenza.

15.    Doenças hepáticas e suas complicações (Renata Perez)

As doenças hepáticas têm elevada prevalência e importante morbidade. Dentre elas, destacam-se as hepatites virais, a doença hepática gordura não alcoólica (DHGNA), a cirrose hepática e o carcinoma hepatocelular (CHC). Uma dificuldade na abordagem destas doenças é falta de métodos diagnósticos mais precisos, precoces e não invasivos de suas formas mais graves e de marcadores prognósticos. Esta linha engloba estudos clínicos e translacionais com objetivo de identificar biomarcadores diagnósticos e prognósticos em diversas doenças hepáticas e suas complicações. Os projetos incluem estudos moleculares, genéticos, epigenéticos, bioquímicos estruturais, morfológicos e funcionais, bem como estudos epidemiológicos e de imagem e tem com principal objetivo a identificação de novos marcadores diagnósticos e prognósticos ou a identificação de potenciais alvos terapêuticos.

16.   Inflamação e carcinogênese (Heitor Pereira de Souza e Marcelo Reis)

Investigar mecanismos fisiopatológicos e novos alvos terapêuticos em doenças inflamatórias e em neoplasias associadas à inflamação crônica. Os projetos da área abordam mecanismos e vias fisiológicas e fisiopatológicas das doenças, com ênfase em estudos celulares, moleculares, genéticos, epigenéticos, imunológicos, bioquímicos, microbiológicos, estruturais, morfológicos, e farmacológicos, envolvendo seres humanos e incluindo validação pré-clínica e modelos in vivo.

 

17.   Estudos de Imagem Aplicados às Doenças Pulmonares (Rosana Rodrigues e Daniela Parente)

A avaliação da resposta inflamatória pulmonar é um processo complexo e de difícil caracterização pelos métodos radiológicos tradicionais, frequentemente demandando procedimentos invasivos. A tomografia computadorizada (TC), ressonância magnética (RM) e, principalmente, os métodos de imagem molecular têm enorme potencial clínico para monitorar de forma não invasiva e quantitativa alterações pulmonares associadas a doenças infecciosas e não infecciosas. Nesta linha, utilizamos técnicas morfológicas (TC), funcionais (RM) e de imagem molecular (PET-CT) em modelos pré-clínicos e em estudos clínicos objetivando o desenvolvimento de novos protocolos e aplicação de novas técnicas para estudo diagnóstico de doenças frequentes no nosso meio como lesão pulmonar aguda, tuberculose pulmonar e pneumonias intersticiais.

18.   Epidemiologia molecular de câncer de pulmão (Carlos Gil)

Estudos clínicos, epidemiológicos, genéticos e moleculares em câncer de pulmão com ênfase no diagnóstico e tratamento.

19.   Desenvolvimento de fármacos anticâncer (Carlos Gil)

Desenvolvimento de fármacos, kits de diagnóstico e redes de pesquisa clínica em câncer.

 

COOPERAÇÃO E INTERCÂMBIOS

O IDOR tem parcerias estabelecidas com Programas de Pós-graduação stricto sensu de universidades públicas no Rio de Janeiro e outros estados da federação, recebendo, atualmente, 43 alunos de doutorado, 24 alunos de mestrado, 9 alunos de iniciação científica e 9 pós-doutorandos. Tem convênio formal com o Programa de Ciências Morfólogicas (PCM) do Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ, conceito 6 na CAPES.

                Mantém acordos de cooperação científica com diversas instituições de pesquisa e ensino nacionais e internacionais, tais como UFRJ, UERJ, FIOCRUZ, UFF, INCA, Instituto Nacional de Cardiologia, InCor, Hospital Sírio Libanês, UNESC, Universidade de Oxford, International Neuroethics Society, Okinawa Institute of Technology, Universidade de Pittsburgh, Universidade de Vanderbilt, Universidade Paris VII, CNRS, Instituto de Pesquisa Scripps da Califórnia, Universidade de Ghent, Universidade Nova de Lisboa, Universidade de Manchester, NIH, Universidade de Melbourne, Universidade de Queensland, entre outras.

                As atividades de cooperação e intercâmbios dos docentes resultam em intensa mobilidade dos parceiros nacionais e internacionais com uma média de 15 pesquisadores visitantes/ano ao IDOR e inúmeros artigos científicos.

Coordenação

CORPO DOCENTE E PESQUISADORES

DOCENTES PERMANENTES

1.       Jorge Neval Moll Neto - http://lattes.cnpq.br/5113998301069032

2.       Arnaldo Prata Barbosa - http://lattes.cnpq.br/0957109003322672

3.       Celeste Carvalho Siqueira Elia - http://lattes.cnpq.br/0015260567563857

4.       Carlos Gil Moreira Ferreira - http://lattes.cnpq.br/4258480022104901

5.       Gabriel Rodríguez de Freitas - http://lattes.cnpq.br/1711374821884948

6.       Ricardo de Oliveira Souza - http://lattes.cnpq.br/1563338555190541

7.       Marcio Soares - http://lattes.cnpq.br/5645795215515495

8.       Jorge Ibrain Figueira Salluh - http://lattes.cnpq.br/7977255003651847

9.       Fernanda Freire Tovar Moll - http://lattes.cnpq.br/0899442226951715

10.   Stevens Kastrup Rehen - http://lattes.cnpq.br/3274735424220270

11.   Leonardo Franklin da Costa Fontenelle - http://lattes.cnpq.br/2368478960823352

12.   Renata de Mello Perez - http://lattes.cnpq.br/0870986021644250

DOCENTES COLABORADORES

13.   Fernando Augusto Bozza - http://lattes.cnpq.br/4150524692179865

14.   Paulo Eduardo Luiz de Mattos - http://lattes.cnpq.br/3880146567893873

15.   Rosana Souza Rodrigues - http://lattes.cnpq.br/0959693118530278

16.   Heitor Siffert Pereira de Souza - http://lattes.cnpq.br/7241649768925480

17.   Antonio José Ledo Alves da Cunha -  http://lattes.cnpq.br/3092151856113795

ORIENTADORES EM PARCERIA

18.   Daniella Parente - http://lattes.cnpq.br/2942595038128631

19.   Marcelo Reis - http://lattes.cnpq.br/3527276346741331

.

Edital 2017

Link para Inscrição